Make your own free website on Tripod.com
COMPORTAMENTO ANIMAL  no 7 - Junho/99 -

COPROFAGIA: QUE DOR DE CABEÇA!!!

 
     Muitos cães que são coprofágicos (comem fezes) não têm uma dieta uma dieta deficiente em nutrientes essenciais ou vitaminas, nem são portadores de insuficiência pancreática.

     Sabe-se que os cães podem comer além das próprias fezes, as fezes de gatos, coelhos, cavalos e de outros cães. Parece que este comportamento está relacionado com aspectos evolucionistas dos canídeos.

     Em condições selvagens, os canídeos ingerem as fezes e conteúdo gástricos de herbívoros que caçam, para uma suplementação de vitaminas do complexo B. A coprofagia provavelmente é modulada por bases neuroquímicas. Coprofagia é um comportamento normal de uma cadela para seus filhotes. Tem sido postulado que o sistema nervoso de filhotes se desenvolve melhor se expostos ao ácido deoxicólico. Pode ser que o animal adulto  coprofágico aja por fatores inconscientes ligados à sua infância (bloqueios como filhote e como ser na escala evolutiva).

     O modo mais fácil de controlar a coprofagia, é vigiar para que se tenha limpo sempre o ambiente onde o animal passeia e habita (ele corre o risco de se contaminar por parasitas e diversas doenças). Pode-se tratar as fezes com um agente emético, pimenta, sal, e funciona nos animais que desenvolveram este comportamento há pouco tempo.

     Alguns animais devem sair com focinheiras e há casos extremos, que fogem aos padrões estudados, que estimulam a si mesmo a evacuar e ingerir suas proprias fezes. São animais que defecam mais vezes que o normal e apresentam alto nível de ansiedade (parece ser um desvio neurótico de comportamento) e não responde a mecanismo disciplinares, precisando de intervenção farmacologica.

* Parte deste texto foi reproduzido do livro "Clinical Behavioral Medicine for Small Animals"- Karen L. Overall


WebDesign  e
Diagramação®
by
Marcos Dias